19 maio, 2009

pedras e ondas

na verdade era apenas medo.
de gostar de alguém mais do que a si propria.
de querer alguém tão perto. De querer alguém dentro.
Pra conhecer o mundo junto. Pra se mostrar de verdade, sem pressa. Sem tempo.
Só pelo doce delirio de ser.
de ser não dois,mas ser um.
Era medo,de se mostrar meiga. De tirar a roupa de rude e fria.
De mostrar seu calor. Das coisas que gostava.
Era medo de depender,
no fundo mesmo, medo de amar algum dia,como ja tinha amado sem sucesso.
no intimo. Queria muito, ansiava. e Talvez por que queria muito se afastou.
Mas ainda a atraia. a froça sempre mais forte. Sempre mais forte,puxando pra perto.
trazendo pra si.
E ela sentiu o corpo quente. Desejou aquele corpo sobre o seu.
Sabia que o desejava,não como amigo,mas como homem. E tinha medo.
Por querer tanto alguém a ponto de derreter.
Não por mero prazer carnal.
Mas por riso,compania e alegria.
Queria pra fazer feliz,pra por no coração.
Queria pra abraçar no dia frio e refrescar no verão.
Queria por que não tinha explicação.
Jogou uma pedra na agua. E as ondas vinham na sua direção.
Ela o queria. E ja nao podia negar.
Simplesmente. Jogou-se na água,torcendo pra não se afogar.

7 comentários:

A Madrasta Má disse...

Somente pelo delírio de ser... pedras e ondas...
Bjinhos da Madrasta!

Garfo Sem Dentes disse...

sabe,
jograr-se nágua é ter coragem,
ainda mais sabendo dos riscos,
sortudos são aqueles que ainda tem inocência...
que por não saber dos riscos,
se arriscam sem saber que
arriscaram,

gostei do texto,
muito revelador,
não sei se teria coragem de me expor assim,

um abraço
do Felipe Godoy :)

O Sinuoso Deadend disse...

É preciso se afogar as vezes, creio que faz bem.

Adorei!

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

esse negócio de água é perigoso menina.

cuidado

rs

beijos

Paciência, revolta e um pouco de lucidez ou falta da mesma. disse...

bem espero que vc não se afogue ainda, afinal mesmo que me faça sofrer a distancia de vc, saber que aindas sorri me ameniza a dor(L)

Amiga do Cafa disse...

Amei sua poesia.
Vou torcer também para não se afogar.
E se isso acontecer, começa a nadar de novo. Ora, ora.
Por que o medo tem que estar presente nos bloqueando, né ?

Tainá disse...

Seu espelho é um reflexo do meu.
Foi muito bom ler esse texto.
Me sinto viva e cheia da tua coragem.
Beijos da Tangerina.