06 janeiro, 2009

soneto de devoção - vinicius de moraes

essa mulher que se arremessa,fria
e lubrica aos meus braços,e nos seios
me arrebata e me beija e balbucia
versos,votos de amor,nomes feios.

essa mulher,flor de melancolia
que se ri dos meus palidos receios
a unica entre todas a quem dei
os carinhos que nunca a outra daria.

essa mulher que a cada amor proclama
a miseria e a grandeza de quem ama
e guarda a marca dos meus dentes nela.

essa mulher é um mundo - uma cadela
talvez... - mas na moldura de uma cama
nenhuma mulher nunca foi tão bela

5 comentários:

Crisenta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Crisenta disse...

Lindo.. Vinicius de Moraes me encanta...
beijos

Máah Castro disse...

vinicios de morais é perfeito, não.!

meu sonho? Bem, ele vale o tamanho de cada palavra...
E o seu, quanto vale?

adorei a visitinhaa..
volte sempre, será muito bem vinda :D

Beijos

sblogonoff café disse...

E todos queremos ser obras de arte para ocasionais pinturas íntimas!!

Anna Oh! disse...

Engraçado, tava lendo esse poema tem pouco tempo... e ele acaba sendo plano pra lembranças, pra vontades, pra saudades, pra tudo. Lindo!


Bjus